homicidas procuram-se

Esta manhã acordei assim a modos com a mente um pouco acelarada…ou seja a imaginação finalmente começou a funcionar, e quebrando alguns dias de falta de “material” para colocar aqui no blog…

Pasmem-se caros leitores…que hoje passei o pequeno almoço a meditar qual a razão de em Portugal não termos assassinos em série??

Vejamos em todos os outros países ditos “evoluidos” há uns quantos sujeitos que se dedicam à arte de eliminar um nº consideravél de outros sujeitos, o que é optimo porque ficamos com mais espaço e no meio daquela gente que é “despachada” sempre vai um ou outro mais desagradavél…

Mas qual foi a razão para me ter lembrado disso durante o peq. almoço…perguntam vocês….porque vi alguém a comentar à entrada da pastelaria que dois pastores alemães que ali estavam tinham um ar meiguinho…e eu pensei ” até te ferrarem os dentes oh bimba” ahahahah…tal e qual o assassino em serie…sempre que há um assassino e as tv’s vão perguntar aos vizinhos o que achavam do criminoso respondem todos “ah e tal era tão bom rapaz”

mas não foi só os pulguentos que me despertaram esta curiosoidade, a serie televisiva que eu não perco todos os dias e ando completamente viciado…”mentes criminosas” também me fez meditar….principalmente com uma frase que não me esqueço “a maldade não tem nacionalidade” e de facto assim é….nós temos por aqui alguns tipos bem beras…..tipo o….e o….e…afinal até os “beras” que temos são sujeitos simpaticos…até o socras se safa…..e os poucos homicidios que temos são cometidos por gente que teve ligeiros esgotamentos…ou seja lapsos compreensiveis…o benfas foi mais uma vez derrotado…os lagartos goleados…e pimba têm que descarregar em alguém….mas nunca numa dezena…..bahhhh….será que nem nisto somos capazes de competir internacionalmente……

Anúncios

13 Respostas

  1. E depois há a distinção entre “serial killers” e “mass murderers”. Os primeiros fazem a coisa de mansinho e frequentemente a jogar às escondidas com a polícia. Os segundos são os que disparam para uma multidão. O fenómeno dos serial killers parece ser essencialmente anglo-saxónico, embora haja descrição de soviéticos e outros do bloco de leste quando este existia. Latinos é difícil.

    E como é que sei isto tudo? Porque há muito tempo andei a ler avidamente um livro sobre o assunto. Estranhamente as pessoas olhavam para mim com algum receio quando os meus olhos brilhavam e eu lhes contava alguma passagem com mais entusiasmo. Nunca percebi porquê.

  2. Abobrinha e estás à espera do quê para me dares o nome do livro? 😀

  3. Ao que parece há lugares vagos, não te queres habilitar? LOL 😀

    Se perguntassemos a algumas pessoas que conhecemos se pudessem agir como no mundo dos desenhos animados, acredita que imensos se iriam revelar como serial killers!

    Penso que esse instinto mortal toda a gente tem, e confesso que também me colocaria nessa lista mas prefiro manter-me como cereal killer…as fardas da prisa não me iriam favorecer! EHEHEH 😀

    Apesar de tudo, ainda bem que pelo menos nisso não nos destacamos, mas já tivemos alguns dignos de filme americano, e curiosamente o meu avô chegou a prender o mais conhecido de todos, à muitos anos atrás (o Borrego)!

    Scary shit, i tell you…

    Beijossss*

  4. Cátia…ahahah….na volta….tem dias que sinto um erto espirito homicida ahahhaah 😀
    A farda da prisão pode não te favorecer….mas olha so o convivio….como?….é só em filmes?…bolas…ahahha

    Claro que ainda nos vamos mantendo um pouco à margem nesse aspecto…. Acho que o pessoal do CSI so vem a Portugal para tirar fotos para a a sacoor e não para investigar…logo estavamos bem lixados :p

    o teu avô? tens que contar isso como deve ser vá!! 😀

    Bjinho 😉

  5. AHAHAH Tinha-me esquecido dessa da sessão fotográfica! LOL 😀

    O meu avô era escrivão do tribunal e muitas vezes tinha o “prazer” de conhecer os detidos. Um deles foi o tal Borrego conhecido como o 1º estripador português. O caso foi notícia em 1970. Antes de se suicidar na prisão até escreveu uma carta ao meu avô, mas sinceramente dessa já não te sei dizer nada…! 🙂

    Portugal já fez manchete, mas já lá vão 40 aninhos! 😀

  6. Calvin

    Não me lembro. Já o li há muitos anos´e foi-me emprestado. Acho que se chamava mesmo “serial killers”. Era muito interessante…

  7. Meu menino…tu acabaste por explicar tudo numa simples passagem….”Vejamos em todos os outros países ditos “evoluidos” há uns quantos sujeitos que se dedicam à arte de eliminar um nº consideravél de outros sujeitos”….mas isto é um país evoluído? Já viste algum serial killer no Botswana? No Zimbabué? Na Guiné Conacri? Não…. 😉

    ABRAÇOOOOOOOOOOOOO

  8. Sadeek

    Assassinos em série há: o Bokassa, por exemplo. “Mass murderes”… montes!

  9. Cátia uma coisa é certa o teu avô devia ter imensas coisas para contar 😀

  10. Abobrinha tenho mesmo que pesquisar sobre esse livro eheheh 😉

  11. Sadeek….pois…nunca passaremos para a categoria de País a “serio” ahahahah..

  12. Isso podes ter a certeza! O meu avô tem imensas coisas para contar, tanto dos tribunais, como do tempo da marinha e das escapadelas à PIDE! 😀

    Outros tempos… 😉

    Beijocas e boa semana*

  13. Cátia…material para um filme estou a ver 😀

    Bjinho e para ti também 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: